Seja a resistência

Ser a resistência é se recusar a aceitar ou consentir com hábitos, práticas e ideologias perigosas. É se lembrar de defender o óbvio e não normalizar o absurdo.

Ser a resistência é se opor a ideia de que o planeta e todas as espécies servem às vontades dos seres humanos. É desafiar o uso utilitarista da natureza e reconhecer os direitos da Terra e de todos os seres.

É rejeitar o consumismo e a idéia absurda de crescimento industrial infinito. É se opor ao vício de poder, ao assalto à democracia e a afronta aos direitos das minorias.

Ser a resistência é se opor a objetificação da mulher, ao racismo e à exploração de pessoas. É lutar por uma sociedade de igualdade e de direitos.

É rechaçar duramente o lucro com as guerras, com as doenças, com a fome e os desastres. É ir contra o oportunismo amoral da indústria armamentista, farmacêutica e de alimentos.

É se recusar a alimentar o jogo da intolerância, ignorância e violência. É não aceitar discursos de ódio e ataques ao direito de existir.

Ser a resistência é, antes de mais nada, defender os direitos humanos universais. É se posicionar e não fugir de conversas difíceis. É se ver no outro e estar lá para o que é certo.

Resista.

Postado por Felipe Tavares

Trabalho para conciliar o desenvolvimento social com a inteligência dos sistemas vivos. Acredito que a sustentabilidade começa com uma mudança de pensamento, e não de técnicas.

Deixe uma resposta