O que é a vida? — Uma comunidade regenerativa

Escrito por Daniel Christian Wahl e traduzido por Felipe Tavares.

A vida — como um processo planetário — é uma comunidade regenerativa! Nas palavras de Janine Benyus: “A vida cria condições propícias ​​à vida”.

Para mim, a palavra “regenerativo” refere-se à capacidade inerente da vida de expressar a essência única de cada lugar através de diversidade elegantemente adaptada. Essa diversidade não apenas muda constantemente e evolui para níveis mais altos de complexidade e colaboração, como também contribui para tornar o local mais abundante, vibrante e favorável a mais vida ao longo do tempo.

Quando você começa a pensar na vida como um processo planetário, começa a ver como o “lugar” é fractal. As escalas local, biorregional e global estão todas aninhadas em um todo (whole) fundamentalmente interdependente e interconectado.

A saúde é uma propriedade emergente desse sistema dinâmico complexo na escala de células, órgãos, indivíduos, comunidades, bioregiões, biomas e o planeta.

Uma compreensão participativa do nosso papel na totalidade (wholeness) aninhada da vida pode nos tornar mais conscientes de que tudo é uma intervenção e todos nós temos a capacidade de aumentar a saúde e o valor de todo o sistema.

Tudo o que fazemos e o que não fazemos conta e faz diferença! Como vida, somos perfeitamente capazes de criar condições favoráveis ​​à vida. Para regenerar a Terra e seu povo, precisamos prestar atenção a esse ‘mutualismo em co-evolução’, como meus amigos do Grupo Regenesis o chamam.

A prática regenerativa é sobre liberar o potencial das pessoas no lugar, ouvindo profundamente a história que o território e seu povo querem contar. É sobre encontrar maneiras de manifestar a essência bio-cultural única de cada localidade, de forma a atender às necessidades humanas e ao mesmo tempo enriquecer e curar a comunidade biológica mais ampla em que estamos inseridos.

A vida é uma exploração contínua sentido ao novo. Para criar culturas regenerativas diversas, temos que desenvolver a capacidade das pessoas no local para continuar ouvindo umas às outras e aos lugares em que elas habitam, para continuar se adaptando e aprendendo. Temos que construir nossa capacidade individual e coletiva de co-evoluir em reciprocidade mútua e cuidado para com a comunidade de vida. É disso que se trata a regeneração.

Para ter uma compreensão incorporada e participativa da pergunta ‘O que é a vida’, precisamos perguntar ‘O que a vida faz?’ E emular. Como vida, podemos co-criar condições favoráveis ​​à vida!

Esse é o meu compromisso com o futuro. Essa é a minha prática de reorientar o futuro no agora: praticar conscientemente o viver como uma expressão da vida sendo um processo planetário; conscientizar diariamente para a participação apropriada na comunidade regenerativa da vida.


Daniel Christian Wahl – Catalisando a inovação transformativa diante as crises convergentes, assessorando em design de sistemas regenerativos integrais, liderança regenerativa e educação para o desenvolvimento regenerativo e a regeneração biorregional. Autor do livro internacionalmente aclamado Design de Culturas Regenerativas.

Posted by Felipe Tavares

Trabalho para conciliar o desenvolvimento social com a inteligência dos sistemas vivos. Acredito que a sustentabilidade começa com uma mudança de pensamento e não de técnicas.
  
 

Deixe uma resposta