Há duas formas de se trabalhar

A primeira é gerenciando a entropia. Ou seja, a tentativa de controlar a desordem das coisas.

Naturalmente a vitalidade de um sistema decai com o tempo. Esta abordagem busca manter as coisas operando como estão ao tentar controlar a entropia.

Para tanto, a atenção é voltada para os problemas e gargalos. Onde houver um ponto em deterioração, faça-se um remendo.

A segunda forma de se trabalhar é cultivando a sintropia.

Sintropia é o oposto de entropia. Ou seja, é a capacidade de organização, complexificação e evolução de um sistema.

É o princípio universal dos sistemas vivos que possibilita o desenvolvimento e a evolução.

Trabalhar para a sintropia é dançar com o plano do potencial, das possibilidades do vir a ser.

Assim, podemos nos perguntar: qual potencial está presente que se realizado permitirá o sistema evoluir a ordens maiores de organização? Este problema é resultado de qual potencial não desenvolvido?

Focar na resolução de problemas é como andar para frente só que olhando para trás.

Focar no potencial é utilizar os problemas como ponto de alavancagem para um futuro melhor.

Posted by Felipe Tavares

Trabalho para conciliar o desenvolvimento social com a inteligência dos sistemas vivos. Acredito que a sustentabilidade começa com uma mudança de pensamento e não de técnicas.

2 comentários

Olá! Sou a Regina, e trabalho há vários anos com programas de bem-estar organizacional. Tenho lido com grande fascínio tudo o que encontro sobre o movimento regenerativo, e sobre organizações regenerativas, mas em Pt, não encontro oferta formativa válida. Podem ajudar-me de alguma forma?
Muito obrigada, parabéns pelo vosso trabalho, os artigos do Felipe têm tido um profundo impacto em mim e na forma como quero desenvolver o meu trabalho.
Abraço,
Regina

Felipe Tavares

Olá Regina. Obrigado pelo contato. Fico feliz que esteja inspirada. Entrarei em contato com você por email. Abraço.

Deixe uma resposta