As cinco dimensões da prática regenerativa

Coevolução newsletter #7

O que faz com que um projeto, empresa ou o comportamento de uma liderança seja melhor qualificado como regenerativo do que como sustentável, ecológico ou humano?

Esta não é uma pergunta simples, mas podemos dizer que a prática regenerativa está orientada para a transformação sistêmica. Essa direção faz com que o praticante precise ampliar o seu escopo de atuação para incluir aspectos que comumente não são considerados.

O Clear (Center for Living Environments and Regeneration), informado pelo trabalho do Regenesis e da Carol Sanford, sistematizou cinco dimensões de prática com as quais precisamos estar envolvidos para tornar e manter regenerativo o nosso trabalho. São elas:

Transformação sistêmica

Sabendo que estamos o tempo todo influenciando nosso entorno, podemos escolher participar de forma apropriada e cuidar dos lugares onde estamos. Transformações sistêmicas acontecem quando assumimos o papel de catalisadores da evolução local impulsionando a construção de capacidades nas comunidades humanas e ecossistemas que ampliam os níveis de viabilidade, vitalidade e capacidade para a evolução do território.

Autotransformação

A autotransformação a serviço da transformação sistêmica é sobre a intenção de realizar o potencial do nosso eu para criar e manifestar benefícios através do nosso trabalho no nosso território, comunidade ou organização. Trata-se de redesenhar quem somos e como nos colocamos nas situações para servir melhor à causa da qual participamos e que nos importa cuidar.

Entendimento dos sistemas vivos

Compreender como funcionam sistemas vivos, integrais e evolutivos aumenta nossa efetividade enquanto facilitadores de processos regenerativos. Esse entendimento nos leva a uma qualidade particular de pensamento e estado de ser que amplia nossa capacidade de participar apropriadamente e projetar intervenções coerentes com o dinamismo, as tendências evolutivas e a característica de interdependência dos fenômenos vivos à nossa volta.

Pensamento orientado por quadros conceituais

Os quadros conceituais ajudam a mente a dar forma à informação capturada pelas impressões influenciando não só no que damos ênfase e em como escolhemos agir, mas até no que prestamos atenção e no que nossos sentidos captam como dados importantes da realidade. Consentir com um quadro conceitual faz com que o pensamento seja intencional em vez de acidental, tornando o pensamento explícito e aprimorando a eficácia do trabalho colaborativo.

Trabalho desenvolvimental

Trabalhar de forma desenvolvimental é sobre implicar genuinamente os atores afetados por uma iniciativa, ajudando-os a descobrir seus papéis nos seus contextos e favorecendo a construção de capacidades cuja condução possa se dar de forma autodeterminada por eles. É assumir o objetivo explícito de aprimorar a capacidade das pessoas, instituições e ecossistemas fazerem o que são impelidos a realizarem. Isso é possível quando partimos da premissa de que novos potenciais são revelados quando causas são cultivadas e capacidades são construídas em parceria com o tempo e com reverência à essência de tudo aquilo que tocamos.

 

Nós estamos trabalhando essas cinco dimensões na newsletter. 

Os emails sobre pensamento à montante e pensamento a partir de primeiros princípios ressaltam a importância do pensamento intencional. Desenvolvimento e coevolução são alguns dos princípios de funcionamento dos sistemas vivos. Os atributos da liderança regenerativa que trabalhamos nos últimos emails fazem parte do trabalho de autotransformação do praticante regenerativo.

Seguimos nessa direção aprofundando nosso entendimento e incentivando gestos informados por cada uma dessas dimensões de modo que possamos nos aproximar cada vez mais de uma forma regenerativa de sermos humanos e de conduzir iniciativas em parceria com a vida.

 


Amplie suas capacidades para a transformação sistêmica

Coevolução é uma newsletter semanal para pessoas que acreditam ter um papel a desempenhar na construção de um mundo viável. Você receberá ideias e ferramentas sofisticadas para o desenvolvimento de capacidades orientadas pelo paradigma regenerativo. Assine aqui.

Posted by Juliana Diniz

Por meio da união entre desenvolvimento humano e a perspectiva evolucionária da Terra facilito processos de inovação social e mudança sistêmica que promovam saúde pessoal e planetária.

Deixe uma resposta